sábado, 20 de fevereiro de 2010

Nada a estranhar

Não estranhem se neste domingo os jogadores do Palmeiras comerem a grama do Palestra Itália. Quase sempre a história é essa: o time não é ruim, mas não está se acertando; troca o treinador e, na partida seguinte, os caras arrebentam, jogam além do que sabem. Se vencerem, vão dizer que tiveram uma motivação a mais com a chegada do novo comandante.
Claro que todos nós, do lado de fora, acreditamos. Afinal, a culpa toda era do Muricy. Foi por culpa dele que havia dirigentes torcendo contra o time, foi por culpa dele que o time não se acertava, foi por culpa dele que a torcida exigiu reforços.
Que culpa têm os dirigentes? O fato de sustentarem uma torcida que depois agride Vágner Love em nada influencia. O fato de demitirem jogadores brigões pelos microfones das emissoras de rádio quer dizer menos ainda. Menos culpa têm eles por dificultarem a vinda de reforços para que o antigo treinador não obtivesse resultados. Não, a culpa era do Muricy.
Jogadores que não apresentavam toda aquela vontade, que não respeitaram o torcedor que saiu de casa, pagou ingresso caro, tomou chuva e viu o time ser goleado em casa também não têm culpa. Não, a culpa era do Muricy.
Portanto, se os jogadores sangrarem no classico, não será estranho. Estranho seria haver algum dirigente com peito para dissolver o elenco e manter o treinador. Mais estranho ainda seria haver dirigente com peito para sair por conta própria e dizer: "Meu clube de coração não merece um cara-de-pau como eu no comando".

2 comentários :

  1. Até quando vamos passar por isso no futebol ?
    Cada ano ou melhor cada semestre isso acontece com um clube . A bola da vez é o Palmeiras. Vamos esperar para ver que bola esse time vai jogar no Domingo.

    ResponderExcluir
  2. Patricio Gouveia Bulhões21 de fevereiro de 2010 10:51

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir