sábado, 27 de agosto de 2011

Spa-Francorchamps - o grid

A não ser que uma disparidade esteja reservada para o domingo, a Fórmula 1 teve a pausa de agosto simplesmente para cumprir um praxe.
Porque até o sábado as coisas continuaram rigorosamente como sempre foram.
Ou seja, com Vettel aparecendo em um único momento: o de cravar a pole.
E o alemãozinho sai na frente no GP da Bélgica.
Mandou 1min48s298, aos quaraquaquá do segundo tempo, só para variar um pouco.
Em segundo sai Lewis Hamilton, que cravou 1min48s730 meio segundo antes de Vettel cravar o tempo dele.
Em terceiro sai Mark Webber (1min49s736).
Felipe Massa sai na 4ª colocação, bem à frente de Fernando Alonso, que larga em 8º e esteve perto de ficar fora do Q3.
A grata surpresa (leia-se menção honrosa) vai para Bruno Senna.
Sem patriotismo barato, sem ufanismo exagerado.
Larga em 7º, em sua primeira corrida pela Lotus-Renault.
Considere ser a primeira corrida e a primeira oportunidade de pilotar um carro...não uma Hispania...
Spa-Francorchamps estava do jeito que todo mundo conhece: chove em um ponto e não chove em outro. A pista ia de molhada a secando, mas jamais seca. Tanto que os tempos foram lá para o alto.
Veja que Jenson Button foi o mais rápido no Q1, com 2min01s813.
Ou seja, 13 segundos mais lento que o tempo da pole de Vettel.
E as coisas seguiram nessa toada o tempo todo.
No final do Q2 houve um ligeiro incidente.
Heikki Kovalainen, com aquela indecente Lotus, se colocou na frente de três pilotos que estavam na volta rápida: Rubens Barrichello, Pastor Maldonado e Lewis Hamilton.
O inglês tinha tempo mais que suficiente para entrar no Q3, ao contrário das Williams, que ficaram de fora, mas ainda assim o campeão de 2008 dividiu a última curva com Maldonado e passou a achar que a culpa era do venezuelano.
Todo mundo cruzou a reta dos boxes e, logo depois da curva 1, Hamilton jogou a McLaren em cima do carro de Maldonado.
Pode dar em alguma coisa? Pode. Vai dar? Não sei.
O que sei é que se Vettel não for o bom e velho Vettel capaz de errar sozinho, a corrida pode ficar bem da sem graça.
Mas mando a aposta aqui:
A corrida não terá nada de sem graça.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Spa-Francorchamps, sexta-feira

Chega de folga, chega de férias (se é que teve e eu acho que não teve); boa trabalhar!
E a Fórmula 1 está de volta via Bélgica e do jeito como conhecemos o GP da Bélgica.
Na base da chuva.
Mark Webber foi o mais rápido na sexta-feira, com 1min50321. Fernando Alonso foi o segundo (1min50s461) e Jenson Button o terceiro (1min50s770).
Mas muita gente preferiu ficar ligada no que acontecia nos boxes da Lotus-Renault, onde a junção de carro preto, capacete amarelo e olhar de peixe morto davam uma cara retrô à Fórmula 1.
Bruno Senna foi o 17º...e mandou bem na chuva...
Rubens Barrichello foi o 16º. Felipe Massa fechou em 5º.
Na base da chuva, só para variar um pouco em termos de Bélgica.
Está certo que no primeiro treino teve um pouco de pista seca e Schumacher, comemorando 20 anos de Fórmula 1, andou na frente, com 1min54s355.
Mas o segundo treino começou com todo mundo se vendo intimado a usar pneus de chuva e acelerar pouco.
Tanto que o povo estava virando 2min10s, 2min11s, em média.
Quando a pista começou a secar, se deu bem quem foi mais rápido para ir aos boxes. Os que colocaram pneus intermediários logo de cara foram baixando os tempos. Houve até um rápido duelo entre Alonso e Webber. O espanhol chegou a andar na frente, mas o australiano dava o troco logo em seguida.
A 30 minutos do fim do treino, a chuva voltou forte e aí nem pneus para chuva, nem nada. O pessoal recolheu e muitos nem voltaram mais.
A 10 minutos do fim, alguns se arriscaram na pista, mas os primeiros ficaram no sequinho dos boxes.
E é evidente: ninguém baixou nada.
Ah! Sebastian Vettel ficou em décimo.
Se fosse o contrário (Vettel em 1º e Webber em 10º), passaríamos o final de semana especulando a substituição do australiano em 2012.
Mas, neste caso, vamos dizer apenas que o treino de sexta não vale nada...

97 anos

São 97 anos de uma bela história.
Parabéns, Palmeiras!!

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Disparidades

Campeonato por pontos corridos é uma coisa maravilhosa.
Uma hora você corre o risco de cair.
Dois jogos depois, iniciou a arrancada rumo ao título.
Vai entender...

De vez

Pois é, a coisa foi um pouquinho além de um mero fim de semana.
Dá uma zoiada como quem não quer nada no site da Lotus-Renault.
Petrov, Senna, Kubica, tudo muito bom, tudo muito bem, mas...
Cadê o Nick Heidfeld??
É, o dinheiro fala alto até nas medianas...

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Apostado

A dupla da Renault em Spa-Francorchamps será Vitaly Petrov e Bruno Senna.
Eu aposto no "sim".
E você??

Eau Rouge

Ontem eu dei um destaque à Eau Rouge, que para muitos é a maior atração do GP da Bélgica.
Para mim, a curva é a principal atração dentre as muitas que Spa-Francorchamps oferece.
De qualquer maneira, vamos ver a Eau Rouge de duas formas, com o mesmo piloto em duas equipes diferentes.
Explicando melhor: duas câmeras on board no carro de Kimi Raikkönen, mas uma pela McLaren e outra pela Ferrari.
A do carro vermelho pega a volta completa.





terça-feira, 23 de agosto de 2011

Casemiro

Não é de hoje que estou para falar isso, mas esperei uma ocasião em que mais pessoas enxergassem para que a opinião ganhasse mais abrangência.
E, agora que o Mundial Sub 20 passou, é mais fácil falar.
Esse Casemiro é um tremendo de um jogador.
Não o conheço pessoalmente, jamais o entrevistei e não tenho nenhum interesse que não seja o jornalístico para falar bem dele, mas o moleque é bom, muito bom.
Jogador de marcação, de combate, mas ao mesmo tempo clássico, muito longe, mas muito longe mesmo de ser um brucutu.
Já tinha ido muito bem no Sul-Americano. Voltou para o São Paulo para ser titular absoluto e figura imprescindível.
Marca sem baixar a porrada, mata o ataque adversário na bola, sai jogando e ainda vai à frente para marcar gols.
Ou seja, o cara é bom.
O São Paulo que não cometa a atrocidade de perdê-lo bestamente.
Apesar que, se o Tricolor não fizer esfprço para segurar Casemiro, o jogador pode esfriar a cabeça no litoral paulista.
Inclusive tem um time nessa região onde ele poderia esbanjar seu talento à vontade...

Spa-Francorchamps

Spa-Francorchamps.
44 voltas.
7.004 metros em cada volta.
19 curvas.
Em 2010: 1º Lewis Hamilton (McLaren); 2º Mark Webber (Red Bull); 3º Robert Kubica (Renault)
Programação
Sexta-feira, 5 horas: Treino Livre 1
Sexta-feira, 9 horas: Treino Livre 2
Sábado, 6 horas: Treino Livre 3
Sábado, 9 horas: Qualifyng
Domingo, 9 horas: Largada (44 voltas)
Curiosidades:
 - Foi em Spa-Francorchamps que em 1991 estreava pela Jordan um jovem alemãozinho de queixos proeminentes, um tal de Michael Schumacher.
 - A Eau Rouge, apenas pelo fato de existir, torna a prova interessante.
 - Como cada volta tem mais de 7km, em Spa não existe a volta da vitória. Os carros cruzam a linha, vão até a saída dos boxes e entram na "contramão" para recolherem imediatamente.