quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Não há Santos

O blogueiro ainda está em férias.
A saída de Dorival Júnior do Santos FC só mostra a forma amadora e pequena com a qual alguns clubes trabalham.
Protegem o ídolo em detrimento de quem quer que seja.
Estava na cara que o Santos não iria tolerar um jogador com salário de R$ 500 mil fora de um clássico.
Mesmo que seja por decisão do treinador.
A verdade é que não há santo nessa história.
A diretoria do Santos disse que teria um treinador com autonomia.
Não deu essa autonomia.
Dorival, por sua vez, anunciou primeiro para a Imprensa que Neymar não jogaria contra o Corinthians.
Só depois lembrou da diretoria.
E apesar do agora ex-treinador dizer que temos memória curta, eu não esqueci o dia em que ele peitou a tudo e a todos para defender o pênalti com cavadinha em final de campeonato.
Deu munição ao monstro.
E agora vem a direção do Santos para dar mais munição ao mostro.
Age com o mesmo amadorismo que a gestão anterior.
A qual eles tanto criticaram.
Infelizmente, é a cultura brasileira.
O ídolo é ídolo. Faz o que quer, quando quer. E se não for feita a sua vontade, sempre há quem o defenda.
Seja o treinador, a torcida ou a diretoria.
Depois reclamam.
Vai entender...

3 comentários :

  1. hoje à noite só devia ter corintiano naquela porra de estádio. seria sensacional... mas falta culhão pra isso...
    bizusssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  2. Torcedor é igual mulher de malandro...

    ResponderExcluir
  3. Manoel Joaquim Bigode22 de setembro de 2010 13:47

    Na Portuguesa Santista isso nunca aconteceria. Por isso digo que o time grande de Santos é o do Canal 1...

    ResponderExcluir