segunda-feira, 1 de março de 2010

É, irmão...

Mano Menezes precisa procurar algum tipo de tratamento enquanto é tempo. O comportamento do treinador está beirando o patológico.
Enquanto Mano foi o responsável por reerguer o Corinthians, colocá-lo de volta na Série A do futebol brasileiro, enquanto os isentos e imparciais que trabalham com os mantos de seus clubes de coração por baixo dos coletes das federações enalteciam o fato do treinador saber cantar o hino corintiano, enquanto Mano foi considerado o melhor técnico do Brasil por colocar o Corinthians na Libertadores, estava tudo uma maravilha. Poderia haver terremoto no Haiti, no Chile, no continente todo, que estava tudo bem. Poderiam explodir 200 carros-bomba no Oriente Médio que ele não ligava.
Veio 2010, o Corinthians não está as mil maravilhas, o Santos vence nove seguidas e o treinador, do alto de seu vasto e profundo conhecimento, comunicólogo que é (?), aproveitou a coletiva pós-Santos x Corinthians para dar uma de suas brilhantes aulas de Jornalismo. Disse que a Imprensa é responsável pelos garotos do time santista serem intocáveis.
Em outras palavras: Mano acredita que como a Imprensa engrandece o futebol do Santos, como usa as palavras "show" e "meninos", os árbitros estão entrando em campo para proteger esses "meninos". Na cabeça do dito treinador, não se pode dar uma chegada mais forte que os árbitros punem.
Mano passa por sérios problemas.
Mesmo morando há mais de dois anos em São Paulo, ainda não percebeu que o Santos só consegue um espaço mínimo na mídia se vencer nove seguidas, ao contrário dele e do time dele. Enquanto as emissoras de TV produziam matérias e mais matérias sobre ele, seu estilo de vida, seu jeito de ser, o mundo era um espetáculo. Enquanto ele ia para os estúdios da Rede Globo gravar 18 programas no mesmo dia, enquanto ele pôde dançar ridiculamente no Altas Horas, estava tudo bem. A partir do momento em que ele só não leva uma goleada dos "meninos" porque os "meninos" não souberam aproveitar o bom momento no clássico, é um absurdo a Imprensa dizer que eles dão show.
Ronaldo fez gol por cobertura na final do ano passado porque era gênio. Na cabeça de Mano, Neymar e Paulo Henrique são...são....ele se recusa a dizer.
Mas o futebol é assim. Nada é para sempre. Os grandes e experientes treinadores sabem disso. Os que conseguiram 15 minutos de fama, ainda não. Mas, quem sabe um dia...

Um comentário :

  1. Silvestre Pantaleão1 de março de 2010 12:12

    Acho ainda mais curioso o Mano Menezes reclamar de arbitragem. Tudo bem que isso virou mania e moda entre os "professores". Mas vamos combinar: em termos de ajuda dos homens de preto, o Curíntia e o Botafogo não têm a menor moral para reclamar.
    Com o "crédito" que esses dois times tem, poderiam ser roubados por uns 10 anos até a coisa ficar justa, se considerarmos tudo o que ganharam de jogos e títulos por ajuda de arbitragem !

    ResponderExcluir