sábado, 3 de outubro de 2009

Olhos bem abertos

Passadas 20 horas do início da jornada, manter-se acordado é um desafio. Mas o treino oficial para o GP do Japão foi para não deixar ninguém piscar. Se o piloto cochilasse, batia o carro. Se fosse o telespectador, perderia um dos muitos acidentes sérios que estranhamente marcaram a formação do grid. Em um deles, Timo Glock deu um susto na Toyota e no mundo. Felizmente, parece estar bem.
Por falar em grid, vamos a ele: Sebastian Vettel sai na pole. Fez 1min32s160. Em segundo sai Jarno Trulli, com Lewis Hamilton em terceiro. A quem ainda carrega a esperança, Rubens Barrichello sai em quinto e Button em sétimo.
Mas a pole, as filas, as posições, tudo foi esquecido em um treino que ficou mais tempo parado do que em andamento. Foram seis (isso, SEIS) batidas. Algumas mais preocupantes.
Vamos começar do começo. A pista secou e nos primeiros treinos livres o pessoal acelerou para descontar tudo o que a chuva de sexta-feira não deixou. Jarno Trulli fez 1min31s709, quando o melhor tempo de sexta, o de Heikki Kovalainen, foi de 1min40s636.
Veio o macabro treino da tarde. De cara, Mark Webber e Sebastien Buemi bateram no mesmo ponto. O australiano deu adeus ao treino e o piloto da Toro Roso conseguiu retornar aos boxes, voltar à pista e se garantir no Q2. Vettel deu uma mostra do que iria fazer, ao cravar 1min30s883. Button ficou em terceiro e Barrichello em sétimo.
Aí veio o Q2. Tudo muito bem até Jaime Alguersuari bater na proteção de pneus. Demorou para sair do carro, provocou uma bandeira vermelha, mas saiu. Entrou no medical car e foi para o Centro Médico de Suzuka.
Quatro minutos depois, o pior momento do dia. Timo Glock contornou a chicane que antecede os boxes e o carro da Toyota não ia mais para a direita, por mais que o piloto virasse o volante. O choque contra a proteção de pneus foi violento. Glock tirou o volante na sequência; bom sinal. Só que ele não saía do carro. Fiscais e equipe médica levaram o tenebroso lençol branco, que impede a captação de possíveis imagens fortes. Muita demora, ambulância que chega e o piloto é retirado. Ao sair, mesmo com máscara de oxigênio, fez sinal de positivo, ou seja, estava tudo bem com ele. Informações atualizadas até as 4 da manhã: o alemão está bem e teria sofrido um corte na perna. Vamos aguardar.
Treino retomado e Vettel fez 1min30s341. Button ficou à frente de Barrichello (4º e 6º, respectivamente)
No Q3, era a hora do fim das desgraças. Dez minutos e só. Que nada. Vem Heikki Kovalainen e bate. Saiu normalmente do carro. Logo depois, Vettel cravou o tempo que ninguém mais superou. Barrichello ficou à frente de Button, mas quase foi atrapalhado...é que Buemi bateu novamente e pedaços do carro ficaram espalhados pela pista...
Domingo, às 2 da manhã, a largada. Se a chuva e os acidentes permitirem...

2 comentários :

  1. quantos acidentes, isso porque era somente treino, imagina na prova!!!!

    abraço!!

    ResponderExcluir