domingo, 10 de outubro de 2010

Suzuka - boca fechada até novembro

Sim!!
Sebastian Vettel calou a minha boca. Parcialmente, é verdade, mas calou.
Eu disse que ele estava fora da disputa pelo título mundial. Não está.
Eu disse que ele não venceria em Suzuka. Venceu.
De ponta a ponta, com autoridade e sem sustos.
Mark Webber chegou em segundo lugar, Fernando Alonso em terceiro, Jenson Button em quarto e Lewis Hamilton em quinto.
Entenderam? Os cinco candidatos ao título nas cinco primeiras posições, ou seja, campeonato mais embolado ainda.
Webber chegou aos 220 pontos. Vettel e Alonso estão empatados com 206, mas o espanhol tem uma vitória a mais. Lewis Hamilton tem 192 e Jensun Button 189.
Sinceramente, começo a descartar Button dessa briga. Hamilton ainda não. Ele sempre pode ser Hamilton. Para o bem ou para o mal.
Para falar da corrida, é bom relatar o que aconteceu antes dela.
O dilúvio que impediu a formação do grid no sábado ficou para a manhã de domingo. Sebastian Vettel mostrou que a sexta-feira não foi casual. Cravou a pole, seguido por Webber e Hamilton. Como a McLaren tinha trocado o câmbio do carro do campeão de 2008, ele perdeu cinco posições. Robert Kubica e Fernando Alonso agradeceram.
E Felipe Massa só conseguiu o 12º lugar.
Na volta de instalação, ou seja, quando os carros dão uma volta para alinhar no grid, mais um acontecimento estranho. Lucas di Grassi perdeu o controle da Virgin e foi no muro. Pancada forte. Nada com o piloto e tudo com o carro, destruído. Nem largou.
Com as luzes apagadas, veio uma das maiores bizarrices da temporada. Ainda na reta dos boxes, a Williams de Nico Hulkenberg soltou óleo na pista e Vitaly Petrov tentou ultrapassar. Não conseguiu, bateu no carro do alemão, perdeu o controle na Renault e encontrou o muro.
Na primeira curva, Felipe Massa tentava consertar a besteira que tinha feito no treino, foi afoito demais, não segurou a Ferrari e encontrou a Force India de Vitantonio Liuzzi. Os dois pra fora da pista. Safety Car.
Cinco voltas longas e lentas. Chatas, monótonas. E Kubica, que tinha tomado o segundo lugar de Webber na largada, perdeu o pneu traseiro direito. E foi embora da prova.
Na retomada, enfim, um pouco de normalidade. Vettel, Webber, Alonso, Hamilton e Button. Como o sol havia voltado a Suzuka e teve entrada de safety car, os pit stops começaram logo depois da 20ª volta, mas sem alterações nas primeiras posições. Nem mesmo nas voltas em que Button andou na frente. Demorou para entrar nos boxes.
Enquanto Vettel passeava lá na frente, Button, que tinha voltado em 5º, chegou em Hamilton, que pilotava sem a 3ª marcha. E passou com facilidade.
No pelotão intermediário, menção honrosa para o japonês Kamui Kobayashi, que ultrapassou 'apenas' quatro pilotos: Jaime Alguersuari, Sebastien Buemi, Rubens Barrichello e Nick Heidfeld (os dois últimos com brilhantismo). Chegou em sétimo.
Na frente, Vettel preparou a festa com Webber em segundo e Alonso em terceiro.
E uma repetição total de 2009. Vettel fez a pole e venceu. Webber cravou a volta mais rápida. Neste ano, 1min33s474.
E o campeonato incendiou de uma vez por todas.
São só mais três etapas.
E nenhuma afirmação a ser feita.
Seria arriscado demais...

2 comentários :

  1. Não dá mesmo para arriscar um candidato ao título . A surpresa sérá grande .

    ResponderExcluir
  2. Ainda acredito no Alonso.

    ResponderExcluir